Kyabje Kangyur Rinpoche

Kyabje Kangyur Rinpoche

 

Longchen Yeshe Dorje nasceu no Kham, no Tibete oriental, em 1898. As suas qualidades espirituais tornaram-se patentes desde a infância. Estudou com alguns dos maiores Mestres espirituais do seu tempo, tais como Jedrung Rinpoche Trinle Jampa Jungne (ele próprio um discípulo de Jamyang Khyentse Wangpo e de Jamgön Kongtrul Lodro Thaye) e Jamgön Mipham Rinpoche. Longchen Yeshe Dorje foi um grande erudito e um Tertön, ou seja, um descobridor de tesouros espirituais. Uma das suas atividades mais extraordinárias foi a transmissão oral do Kangyur, o cânone das escrituras Budistas que consiste em mais de uma centena de volumes, o que fez por mais de trinta vezes. Por esta razão, passou a ser conhecido como Kangyur Rinpoche.

 A vida de Kyabje Kangyur Rinpoche teve dois períodos distintos. A primeira metade foi dedicada ao estudo e à prática. A sua diligência no estudo não tinha paralelo e tornou-se uma autoridade respeitada não só em relação aos ensinamentos de todas as escolas do Budismo Tibetano, como também em relação a muitas outras áreas do conhecimento, tais como a Medicina (Kyabje Kangyur Rinpoche era médico), a astrologia e as ciências naturais. Kyabje Kangyur Rinpoche combinava a enorme erudição com uma grande disciplina na prática espiritual adquirida após longos retiros. Estas qualidades levaram-no, desde muito cedo, a ser Abade do mosteiro de Riwoche, no Kham, um importante centro da tradição Rime, não sectária, onde eram praticadas as linhagens Nyingma e Taklung Kagyu do Budismo Tibetano. No entanto, optou por deixar o mosteiro, preferindo a vida de eremita, viajando pelo Tibete e pela região dos Himalaias, recebendo ensinamentos preciosos e colecionando livros raros e manuscritos.

No segundo período da vida, Kyabje Kangyur Rinpoche casou com Jetsün Jampa Chökyi (Ama-la), com quem teve seis filhos (por ordem de nascimento): Rigdzin-la, Yangchen-la, Taklung Tsetrul Pema Wangyal Rinpoche, Chökyi-la, Rangdröl Rinpoche e Jigme Khyentse Rinpoche.

Este período caracterizou-se por uma enorme humanidade e dedicação aos outros, em particular aos mais necessitados, como os doentes, idosos e órfãos, bem como à transmissão de preciosos ensinamentos espirituais. Prevendo a invasão do Tibete, Kyabje Kangyur Rinpoche deixou o Tibete antes de 1950 com a sua família e com uma coleção de livros de inestimável valor e instalou-se em Darjeeling na Índia, onde fundou o mosteiro Orgyen Kunzang Chokhörling. Foi um dos primeiros grandes Mestres Tibetanos a aceitar estudantes ocidentais e a expressar o desejo de estabelecer centros no Ocidente.

Kyabje Kangyur Rinpoche foi também um escritor prolífico, sendo uma das suas maiores obras A Quinta-Essência das Três Vias (traduzido do Tibetano para Inglês pelo Grupo de Tradução Padmakara e publicado por Shambala, 2001), que comenta o texto Tesouro de Preciosas Qualidades de Rigdzin Jigme Lingpa. Este comentário é considerado um guia indispensável para todos os que tenham interesse genuíno no Budismo. Outro dos trabalhos seminais de Kyabje Kangyur Rinpoche é o seu comentário ao texto Carta a um Amigo de Nagarjuna (traduzido do Tibetano para Inglês pelo Grupo de Tradução Padmakara e publicado por Snow Lion Publications, 2006).

Muito mais do que estas breves palavras podem expressar relativamente à sua vida e atividade, a existência de Kyabje Kangyur Rinpoche foi um paradigma perfeito sobre a forma de integrar os ensinamentos do Buda na vida diária.

Close