A História do Budismo

A História do Budismo

A HISTÓRIA DO BUDISMO

Percorrida através dos seus locais históricos e do seu património artístico, repartida em 12 filmes realizados por Benoy Behl

Esta série de filmes é a primeira que retrata todos os locais históricos budistas da Índia. Os filmes também retratam muitos dos locais budistas importantes de outros países asiáticos. A história do Buda e do desenvolvimento do budismo é traçada através da arte e arquitetura de mais de 100 monumentos preeminentes.

A arte do Budismo é uma das artes mais delicadas e sublimes do mundo. Esta herança requintada da filosofia e arte desenvolvida na Índia espalhou-se por todos os países da Ásia. Os quatro grandes locais de peregrinação budista, Lumbini, Bodhgaya, Sarnath e Kushinagar estão entre os lugares mais reverenciados do mundo. Estes quatro locais estão retratados, assim como Kapilavastu, onde Buda viveu como Príncipe Siddharta.

A partir do tempo de Ashok em diante, o budismo espalhou-se não só por todos os cantos da Índia, mas também por toda a Ásia. A religião e a arte a ele associadas teve um efeito transformador nos países onde este chegou e, até hoje, o budismo floresce em todo o continente.

Estes filmes oferecem uma perspetiva abrangente dos monumentos e da herança artística do budismo na Índia, desde os tempos mais remotos. Os filmes abarcam um vasto conjunto do património das tradições Theravada e Mahayana-Vajrayana, mostrando a riqueza de toda a tradição budista. Os filmes também se debruçam sobre as raízes e o desenvolvimento da iconografia das várias escolas budistas, nos locais e nas grandes universidades da Índia Oriental.

Recomendada pela Embaixada da Índia em Portugal

Consulte o texto original na íntegra no site do realizador

Veja os filmes no canal YouTube do realizador

Veja uma versão remontada do primeiro filme da série no site

Consulte o site do realizador

Biografia

O produtor e realizador Benoy K. Behl é um dos mais destacados realizadores de documentários da Índia e os seus filmes são exibidos regularmente nos horários nobres dos canais de televisão. É também um historiador de arte de renome mundial e uma autoridade na área do budismo. O seu livro sobre as primeiras pinturas budistas de Ajanta foi publicado pela Thames and Hudson e estudou em muitos países. O seu livro "Buddhism: The Path of Compassion" aborda a herança budista do mundo (em 19 países) e foi publicado pela Divisão de Publicações do Governo da Índia em 2018. É convidado como palestrante por prestigiosas universidades, museus e templos budistas de todo o mundo. Como Consultor do Governo da Índia, escreveu a candidatura aprovada do Templo Mahabodhi em Bodhgaya para a Lista do Património Mundial da UNESCO.

Documentários

Os seus dois primeiros documentários, realizados em 1976, foram transmitidos por Doordarshan (Canal Estatal TV, Índia). Outros documentários realizados por ele incluem entre outros Another Look at Khadi (sobre a filosofia sócio-económica de Gandhi); First Himalayan Car Rally; The Sculpture of India, The Paintings of India, Divine Marriage. The Sculpture of India apresenta o desenvolvimento da escultura indiana desde a Civilização do Vale do Indo até ao século XVII.

Uma série de documentários filmados por Benoy K. Behl, mostrando a herança da Índia, especialmente de lugares remotos e inacessíveis, foram exibidos no Centro Internacional da Índia, Nova Deli, em agosto de 2009, e este programa de dois dias, intitulado The Journey Within foi inaugurado pelo Ministério da Informação e da Radiodifusão do Governo da Índia. Ele também produziu uma série de documentários chamados Spectacular India para o Canal televisivo Doordarshan, que abrange monumentos históricos desde Caxemira a Leh, Kangra etc.

Fez mais de 35.000 fotografias e realizou mais de 100 documentários. Fez um filme sobre Guru Padmasambhava aclamado pela crítica, que foi exibido em muitos locais. Recentemente realizou um filme emblemático sobre yoga intitulado Yoga - Uma Visão Antiga da Vida. O filme foi realizado por Behl e Rahul Bansal. Foi filmado em toda a Índia, na Alemanha e nos EUA: "Há alguns milhares de anos, não se sabe exatamente quando é que os pensadores na Índia começaram a olhar para o seu interior. Eles perceberam que a alegria e a paz só podiam ser encontradas no nosso interior, não a partir das circunstâncias do mundo externo. Começaram a mapear e a estudar o mundo interior. Desenvolveu-se uma visão da vida, que permeava todos os aspetos da vida. Isto é 'Yoga' e é a base das crenças espirituais indianas. Está também no coração de todas as atividades artísticas clássicas indianas".

No filme As raízes Indianas do Budismo Tibetano, realizado para o Ministério dos Negócios Estrangeiros do Governo da Índia, fez extensas entrevistas ao Dalai Lama. O filme ganhou vários prémios nos Festivais Internacionais de Cinema, incluindo o prestigiado Festival Internacional de Cinema de Madrid. O filme pode ser visto no canal YouTube do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

As reportagens da imprensa sobre o aclamado filme encontram-se no link e no link

Arte Budista

Behl tem fotografado extensivamente arte budista na Índia, bem como no Afeganistão, Sibéria, China, Tibete, Japão, Butão, Sri Lanka, Mangólia, etc. Depois de documentar os Budas Bamiyan no Afeganistão, visitou também o Uzbequistão e a província russa de Calmúquia para traçar a tradição budista de 400 anos na Europa.

Close